sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Teu animal...

Saudade da voz que me leva a loucura, Voz tão forte e cheia de ternuras
Vontade novamente de me abrir toda noite, sentir teus afagos e acoites
Deitada  sentir minhas pernas molhadas, escorrendo tesão e toda gozada
Exposta ao Dono de mim, aquele a quem dei minha vida sem fim
Usada de forma cruel e delicada, sentindo o beijo e sendo amada
Mulher criada eu sou para  Ti, delírios em nosso refugio me venha ferir
Marca minha pele e cura o meu coração, me usa e abusa me traz emoção
Cadela do Dono e puta me faço, e tudo que quero e dormir em teus braços
Sou sub do homem que me cativou em Tua menina o Senhor me tornou
Possuiu o meu ser, sem nada me dar, roubou minha paz só para te amar
Ah doce Cruel que moveu minha vida, agora que o amo não me deixes feridas
Mas use teu balsamo em meu frágil corpo  e deleite em mim e derrame teu gozo
Sou tudo o que o Senhor desejar a menina a vadia a puta vulgar
Não tenho mais nada a que me prender a não ser te amar e viver teu prazer
Ah Homem tão duro que me sequestrou, agora que o amo , não tenho medo da dor
A dor que me causas, me traz tanta paz, as marcas deixadas é meu doce cais
Onde eu olho e vejo Tua mãos, que marcam a pele e meu coração
Brinquedo, cadela sou Teu animal e tudo que faz não é para meu mal
Mas me ensinou a essência da escrava e sendo  tua com carinho me tratas

Não tenho Teu nome exposto em mim, mas carrego na alma um amor por Ti sem fim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário