terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Eternamente Tua...













Onde deleito minha alma em Teus pés
Onde encontro aconhego Tu és
No amanhecer do dia, Tua voz é minha alegria
No entardecer, onde desejo me esconder
No Anoitecer, meu refugio onde posso me refazer

Na madrugada Fria ou quente, És o meu desejo constante
No raiar do Sol, És o meu consolo ainda que distante.
Na dor da solidão ainda assim regas  minha doce paixão

Matas minha fome de amor, quando em minha pele sinto Teu calor
Sacia minha sede de querer, quando me usa para Teu prazer
Alimenta minha alma faminta, quando com meu  Tu corpo brincas,

Vem me faça devassa, vem me usa me rasga,
Me abra, me molhe, deixei meu corpo mole,
Vem para dentro de mim, sacia Tua sede sem fim
Sou apenas Tua cadela, Vem me usa e Tuas vontades em mim se reve-la
Sou Tua puta vadia, me use de noite e de dia

Vem DONO de meus delirios, vem me deitei em Teus rios
Me molhe com Te gozo, me lambuze, me ame, me tenha, me abuse,
Violente meu corpo com marcas, me tenha me queira me faças
Me molde Cadela no cio, deleito eternanamente em Teu rio

Vem me bata, me ame, sou Tua, me queria me chame
Vem me puna por erros, depois me aconchegue em Teu Peito
Me olhe nos olhos, me toque no corpo, me marca a alma 
Me beije me cala. 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário